Luz que vem do Rajastão na India

by • 1 de setembro de 2013 • Asia, Espaços de Aprendizado, inspiração, Jornada, UncategorizedComments (1)11777

Esta foto foi tirada no mesmo local onde as crianças tem aula à noite mas sem o uso de flash.

Esta foto foi tirada no mesmo local onde as crianças tem aula à noite mas sem o uso de flash.

“…de dia eu cuido de 20 búfalos” diz a valente e jovem garota “e a noite eu venho para a escola noturna. E você? Que tipo de plantas cultiva? Quantas vacas você tem? Me pergunta, intrigada.” A foto que ilustra a capa deste post foi tirada com flash no momento em que as crianças se apresentavam. A garota que cuida de 20 búfalos durante o dia é a da direita. Aqui você vê uma foto sem flash tirada no mesmo local e na mesma hora.

A jovem garota de um minúsculo vilarejo no interior do estado do Rajastão na India, frequenta aulas extras durante as noites. Assim como ela, outras crianças que tem tarefas diárias que vão desde cuidar dos irmãos mais novos, ou até mesmo do rebanho de cabras da família, tem acesso a estas aulas que só são possíveis graças a iluminação providas por lâmpadas LED, que por sua vez recebem energia elétrica acumulada em baterias durante o dia através da captação da energia solar.

Aqui em Tilonia há pouco mais de 40 anos atrás em 1972 nascia uma das escolas mais empreendedoras do planeta, o Barefoot College, nome que pode ser traduzido como “Universidade dos pés descalços”.

Mulheres de mais de 10 países estão agora no Barefoot College participando de cursos com 6 meses de duração

Mulheres de mais de 10 países estão agora no Barefoot College participando de cursos com 6 meses de duração

Fundado por um corajoso e dedicado indiano que abriu mão de aproveitar o rico futuro que sua família poderia oferecer para dedicar seu tempo a um pequeno vilarejo, a escola conta hoje com dois campus e recebem principalmente mulheres analfabetas ou semi-analfabetas do mundo todo para transforma-las através de seus mais diversos programas.

Quando chegamos ao principal campus onde 100% da energia elétrica é captada através de painéis solares, fomos recebidos por Nandlal, um simpático indiano que se esforçava para falar inglês conosco enquanto ia nos guiando pelo campus. Chegamos a uma sala de projeção onde assistíamos um pequeno vídeo sobre a historia do projeto quando ele nos interrompe e diz “Venham agora, Bunker Roy quer falar com vocês!”

“Se você quer um diploma para pendurar na parede não terá isto no Barefoot College. Aqui, seu “certificado” é o serviço que você presta a comunidade” dispara Bunker Roy em sua famosa palestra no TED.com

Sentado em seu simples escritório Bunker pergunta bastante. Quer saber de onde viemos, quais nossos interesses ali e o que queremos aprender. Quer saber também o que sabemos, que línguas falamos para saber como podemos ajudar na escola. Ao saber que eu falava espanhol logo dispara “Sim, precisamos de espanhol, a TV espanhola vem nos visitar amanhã.” Ele faz as conexões rapidamente, é preciso, carismático e ao mesmo tempo bastante acessível. Oferece aos nossos colegas de expedição 4 vagas para que mulheres da África do Sul venham participar nos work shops de 6 meses. Depois de um delicioso chá com especiarias ele diz “Já conversamos bastante vocês devem ir para a escola noturna agora, vocês tem muito para ver, preparem-se para dormir pouco.”

A escola se dedica a realizar o impossível. Transformar aldeões analfabetos em engenheiros solares ou ate mesmo dentistas. Sim, isso mesmo. Ou como chamam por aqui : “barefoot solar engineers ou barefoot dentists”.

Algumas mulheres que se formaram no Barefoot College montaram a organização "The Women Barefoot Solar Cooker Engineers Society".

Algumas mulheres que se formaram no Barefoot College montaram a organização “The Women Barefoot Solar Cooker Engineers Society”.

A indiana de sorriso tímido aprendeu por dois anos o oficio de dentista e hoje, presta serviços a comunidade do entorno cobrando 15 rupias por um check up completo (aproximadamente R$0,45 – quarenta e cinco centavos de Real).

Mas o Barefoot College não pára por aí, ao todo, tem atuação em diversas áreas, com uma enorme abrangência em termos de cursos. É a única universidade no mundo dedicada e gerenciada por pobres – como eles mesmos gostam de dizer.

Seus cursos abrangem eletrificação, desmistificação e descentralização de energia solar, saúde preventiva e sistemas alternativos, artesanato e técnicas tradicionais, empoderamento de mulheres, comunicação em massa entre outros.

Durante nossa visita, mulheres de mais de 10 países diferentes se revezavam em seus work shops que fazem parte de sua imersão de 6 meses. Ao retornar para seus países, levam, além das amizades internacionais, conhecimento o suficiente para replicar aquilo que aprenderam. Muitas acabam se tornando lideres em suas comunidades, trazendo tecnologia solar para cozinhar, ou ate mesmo iluminar uma aula para crianças e certamente levam no coração uma comunidade muito maior.

São mulheres que farão a diferença em seus países, trazendo luz, em todos os sentidos da palavra, onde existe escuridão.

Conta uma lenda indiana que um rico Marajá queria decidir qual de seus dois filhos herdaria seu reino. Chamou os dois com idades entre 8 e 9 anos, deu a cada um uma moeda de 5 rupias e disse: “Comprem algo que preencha todo este quarto.” Depois de passarem o dia inteiro nas ruas, voltaram exaustos, já era noite. O primeiro garoto trouxe 10 kilos de algodão e por mais que se esforçasse não conseguiu preencher toda a sala. O segundo garoto entrou no quarto ja escuro pela noite que avançava e disse “eu comprei uma vela”. A luz da vela preencheu todo o quarto e o garoto herdou o reino.

Este post foi inteiramente escrito utilizando energia solar do campus e  o upload foi feito com wifi também fruto da mesma fonte de energia.

Pin It

Related Posts

One Response to Luz que vem do Rajastão na India

  1. Sílvia Guerra disse:

    Ter conhecimento desse tipo de fato é o que mantem minha paixão pelo ser humano acesa. A busca pelo ideal, que tantos chamam de impossível, me instiga, e ver que existem pessoas por aí dedicando suas vidas e mudando a vida de outros me encanta!
    É muito difícil hoje em dia encontrar alguém que possamos realmente admirar.
    Gratidão pela matéria (:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *