Qual é mesmo o propósito da educação?

by • 15 de dezembro de 2012 • Asia, Espaços de Aprendizado, Jornada, PessoasComments (1)5433

7732119986_910a0a22db_c

Foto tirada pelo pessoal do projeto Rethinking Education Documentary, que esteve na Green School também

Temos a sorte de estar no papel de simples observadores, nas escolas que visitamos. Observadores sem o objetivo direto de resolver um problema. Sem o olhar voltado para a busca de uma solução clara. Isso nos dá a possibilidade de pensar em novas perguntas, não aquelas perguntas que já temos e que levariam às respostas esperadas, mas perguntas desprovidas de intenções prévias. Nosso olhar foi etnográfico, ou seja, nos inserimos no ambiente onde a escola está acontecendo, e ficamos por lá durante vários dias. A partir daí as principais perguntas foram nascendo. Certamente se tivéssemos saído a campo com uma lista de perguntas prontas, aquelas que naturalmente tínhamos nas nossas cabeças, não teríamos estado abertos às perguntas que surgiram pelo caminho. Esse é um dos segredos da etnografia.

O antropólogo Claude Levi-Strauss tem essa frase simples sobre isso:

The wise man doesn’t give the right answers, he poses the right questions. (“O homem sábio não é aquele que dá as respostas corretas, mas o que faz as perguntas certas”)

Quando entrevistei a Kiran Seth, de Riverside, ela contou como ela partiu em busca de inspiração para fundamentar a sua escola. Ela partiu por uma jornada na Índia e viveu seu próprio processo de investigacão. Em seu relato, ela nos contou:

Eu não sabia o que deveria olhar numa escola. Não fazia ideia. Fui criando minhas lentes ao longo da jornada. Normalmente a medida que se tem de uma escola é se ela vai academicamente bem. Mas minha perspectiva de designer me levava a olhar para os espaços físicos… Eu também prestava atenção nas crianças, queria saber se elas sabiam conversar. Em muitas escolas que dizem estar fazendo um bom trabalho as crianças não conseguem sustentar uma conversa. Eu buscava conhecer os diretores da escola para ver se havia pessoas dinâmicas e interessadas de verdade em educação. Eu criei minhas próprias lentes.

É isso que estamos fazendo. Fomos buscar – e estamos buscando – as nossas lentes. Numa dessas escolas surgiu uma pergunta muito interessante que passou a fazer parte da nossa busca. Uma pergunta ridiculamente simples, mas que pode trazer questões complexas quando perguntada às pessoas que estão refletindo sobre isso. A pergunta é a do título desse post: qual é o propósito da educação? Para que ela serve, hoje? No mundo de hoje, com as necessidades de hoje? Acho essa pergunta uma mudança importante da clássica (pelo menos pra mim é clássica) “por que tenho que aprender fórmulas matemáticas?”. Quando a pergunta é recolocada dessa forma, fica mais fácil abrir os horizontes e dar espaço para novas respostas. Para responder à pergunta do porque das fórmulas matemáticas, ficamos dando voltas e voltas sem chegar a lugar nenhum. Já fiz isso comigo mesma, com meu filho que adora ciências exatas, para meu pai que é engenheiro mecânico, e a resposta é meio que sempre a mesma: ninguém sabe direito. Ninguém sabe como chegamos a esse ponto, onde decorar coisas virou mais importante que pensar.

Exercitando esse “reperguntar” chegamos então à necessidade de formular essa simples questão. Quando a dirigi à Leslie Medema, coordenadora do ensino médio (high school) da Green School, o que veio foi um mar de reflexões tão intensas que engasguei para fazer a próxima pergunta. Compartilho o que ela me respondeu, com um olhar pensativo e a voz decidida (tradução livre abaixo e em seguida as palavras originais, em inglês):

Para mim, capacidades para a vida são o mais importante. O que eu quero dizer com isso…

Você consegue se virar no dia-a-dia de uma forma positiva, como pessoa?

Você pode fazer a matemática do seu dia-a-dia, sabe calcular impostos?

Você sabe ir atrás de trabalho? Sabe procurar emprego?

Você sabe se expressar, por escrito e verbalmente?

Você trata as pessoas com respeito?

Você entende o impacto que você tem na cultura e no ambiente ao seu redor?

Você entende que tudo que você faz tem uma consequência?

Você entende que você vai errar e que é sua responsabilidade lidar com esses erros?

Que você não pode ser um expectador passivo do mundo, que você tem que contribuir positivamente com o mundo, com a vida, com a sua vida?

Que a vida é curta e que ela não pode ser desperdiçada?

 

For me it’s life skills that are the most important and what I mean by that is…

Can you get by in a day after day basis in a really productive way as a person?

Can you do your daily maths, can you do interest rates?

Can you open a bank account?

Can you find a job?

Can you express yourself in writing well?

Can you speak orally well?

Can you treat people with respect?

Can you understand your impact on the culture and the environment around you?

Do you understand the concept that everything you take in this world has a consequence?

Do you understand that you will and do make mistakes and that it’s up to you to identify them and address them?

That you’re not allowed to be a passive observer, that you have to contribute positively to this world, to this life, to your life?

Your life is short and it’s about continually growing or it’s wasted.

E largo a pergunta no mundo: qual o propósito da educação? O que você pensa sobre isso?

 

Pin It

Related Posts

One Response to Qual é mesmo o propósito da educação?

  1. Obviamente não é uma pergunta que se esgote em poucos caracteres, mas podemos cada um responder um pedaço e depois juntar tudo. Uma coisa que acho q vale a pena pensar é, a educação não deve ser pensada apenas na escola e como preparatório para a vida. Educação acontece na vida toda, a escola não deve preparar para a vida. A escola deve preparar Na vida. Sendo assim a educação pode ser aquilo que transforma o ser em sujeito durante todo seu processo de vida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *