Revisitando o YIP – Youth Initiative Program – em Järna/Suecia

by • 23 de novembro de 2014 • Espaços de Aprendizado, Europa, inspiraçãoComments (0)7078

Depois de mais ou menos uma hora a partir de Stockholm, chegamos a YtterJarna.se um pequeno vilarejo que tem sua história iniciada na década de 30. O local, hoje conta com a arquitetura premiada de Erik Asmussen que tem base antroposófica e é absolutamente recheado de arte, pequenas fazendas biodinâmicas, cafés, espaços para eventos, casas e uma escola Waldorf. Ali, Reimbert me deixa num pequeno restaurante onde jovens entre 18 e 26 anos de idade, vindos de mais de 15 países diferentes, aguardam ansiosos.

Cada um destes jovens tem um brilho diferente, algo muito difícil de explicar. Cada um é absolutamente diferente do outro, seja na forma de se vestir ou se expressar. Uma amiga da Holanda há alguns anos atrás tinha me dito que havia encontrado um lugar diferente na Suécia, algo absolutamente especial que era como uma fusão entre a “Vila dos Hobbits” e a “Escola de alunos do Professor Xavier de X-Men”. Chegando ao YiP – International Youth Initiative Program – eu tive a certeza de que esta era a melhor descrição do lugar.

Um encontro comunitário no YiP onde alunos discutem temas de seu dia-a-dia vivendo juntos na mesma casa.

Um encontro comunitário no YiP onde alunos discutem temas de seu dia-a-dia vivendo juntos na mesma casa.

 

A receita é bastante simples: juntar jovens absolutamente brilhantes, cada um em seu jeito de ser  + coloca-los para viver juntos ao longo de 40 semanas + para cada uma destas semanas trazer “contribuidores” absolutamente apaixonados pelo que fazem para compartilharem suas idéias com os Yippies + fazê-los participarem de um estágio em algum país que não conheçam + colocar estes jovens para criar um projeto individual qualquer mas que envolva “fazer” algo (ou “ter a iniciativa”) e cerca-los de um campus absolutamente inspirador como o caso do YtterJärna. E acima de tudo, entrelaçar entre estes diversos pontos um senso de espaço, local e comunidade.

 

Conheço diversos ex-yippies que estão espalhados pelo mundo. Ediane no Brasil, Matthew na Inglaterra, Henning na Suécia, Nathan, Didi e Zuhayra na África do Sul e posso dizer que são absolutamente inspiradores e realizadores. Sempre conectados com temas dos mais diversos trabalhando na fronteira da inovação.

 

O Järna Kafe onde os Yippies almoçam

O Järna Kafe onde os Yippies almoçam

 

O YiP sempre esteve no meu imaginário. Desde a descrição trazida pela amiga Holandesa até as histórias contadas pelo amigo André Gravatá no nosso livro “Volta ao Mundo em 13 Escolas”, mas, em Novembro deste ano recebi um email. Um dos fundadores me convidava a visitar o YiP, como contribuidor, levando minha história pessoal e paixão por temas como comida, teoria da complexidade e educação. Daquela primeira conversa até a chegada no YiP algumas intensas semanas nas montanhas do oeste do Nepal e também passando pelo Butão haviam se passado e quando Reimbert me deixou ali naquela reunião de jovens do mundo todo. Em poucos minutos eu estava em casa.

O mar Báltico que também é parte do Campus no YiP

O mar Báltico que também é parte do Campus no YiP

 

Duas Yippies foram voluntarias para me receber e ter certeza de que eu ficaria bem, além de me apresentar o campus e também os outros colegas de classe. Louise (Bélgica) e Veerle (Holanda) pareciam me conhecer há muito tempo e aos poucos fui me conectando com o local e com os demais Yippies além do incrível time que organiza a jornada.

Christianne, que faz parte da equipe organizadora este ano, foi a host que esteve comigo durante todos os momentos na sala da Casa Branca, principal local para os módulos realizados pelos “contribuidores”. O papel de Christianne é simples e vital: Entrelaçar os diversos temas, contribuidores e yippies.

O dia-a-dia na semana tem as manhãs dedicadas aos contribuidores e seus temas, com um intervalo para o tradicional fika (tradição Sueca facilmente reconhecida pelo Brasileiro – o cafezinho), o almoço comunitário no Järna Kafe onde toda a equipe de organização está presente e aproveita o momento para conversar com os yippies. Durante o almoço é muito comum os jovens marcarem conversas pessoais com os contribuidores. Ali, dividem suas dúvidas e reflexões mais profundas numa conversa olho no olho, ou seria melhor dizer, alma na alma.

A imersão para "dentro" acontece aproveitando o inverno Sueco

A imersão para “dentro” acontece aproveitando o inverno Sueco

A limpeza e organização dos espaços de almoço e jantar também é uma tarefa do grupo que se organiza em turnos para os diversos trabalhos.

Na parte da tarde, o grupo se reúne para tarefas diversas que podem ser um encontro comunitário para discutir a realização de um evento ou ainda conversas para ajustar questões práticas do convívio juntos na casa “Tallevana”. Nesta semana porém, a quinta-feira guardava algo especial: um encontro de “skill sharing” onde dois ou três dos jovens assumem o papel de contribuidores e dividem com a classe alguns de seus talentos. Isso pode envolver aulas de matemática ou ainda imersões em neurologia ou malabarismo. Mas não se engane. Quando o jovem Pablo (México) assume a classe para falar de neurotransmissores e neuro estimulantes, ele não está nervoso nem hesitante, fala com segurança e responde com clareza as diferentes perguntas trazidas sobre o tema que vem estudando por iniciativa própria.

O rigoroso inverno Sueco com cerca de 6 horas de penumbra por dia, é utilizado para que os participantes tenham uma imersão mais profunda dentro de si mesmos, é o período para escreverem autobiografias, pintarem auto retratos ou ainda enfrentarem seus medos e dúvidas. Por outro lado, o verão quando o Sol brilha por quase 20 horas, é usado para que seus projetos pessoais tomem corpo.

Quando me lembro das fantásticas discussões do nosso coletivo para fazer as duras escolhas sobre quais escolas deveriam estar presentes no nosso livro e quais ficariam “de fora”, o YiP nunca foi um “talvez” e esta visita só me confirmou que de fato, acertamos. O vídeo “O que é o YiP?” dá uma boa idéia da energia do local e, além dele, fizemos um outro vídeo curto apenas juntando alguns segundos de cada um dos dias para se ter uma idéia da turma do YiP 7. Confira aqui.

 

 

 

 

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *