Uma hora com Sir Ken Robinson – parte II

by • 23 de novembro de 2012 • inspiração, Jornada, PessoasComments (6)5988

A aula com Sir Ken Robinson durou apenas uma hora, mas foi cheia de reflexões e histórias que ampliam nosso olhar sobre o tema da educação. Para quem quiser acompanhar a primeira parte do encontro, clique aqui.

Como já comentei no primeiro post, Sir Ken Robinson estava no Brasil a convite da HSM, uma empresa de conteúdo, eventos e capacitação voltada a executivos. Além de dar palestras, Robinson veio lançar outro dos seus livros em português, cujo título é Libertando o Poder Criativo.

No meio da conversa, ele compartilhou uma discussão entre ele e a professora de francês da sua filha. A filha estava chateada com as aulas de francês, então ele perguntou para a mestra se ela tinha alguma teoria que explicasse a tal falta de entusiasmo. A professora disse que parte dos estudos de francês é inerentemente chata, infelizmente. Robinson esticou a conversa: professora, que tal explorarmos todas as possibilidades que explicam essa situação? Existem conteúdos chatos por si mesmos ou é o processo de ensino que é chato? Para Ken, um dos pontos-chave é o professor perceber qual a hora em que ele precisa mudar de direção, encontrar outras maneiras de caminhar.

Para destacar a importância da transformação dos processos educacionais, Robinson trouxe à tona a sua visão sobre três elementos fundamentais: imaginação, criatividade e inovação. Veja o que ele entende quando menciona cada uma dessas palavras:

Imaginação – ato de trazer à mente o que não está no presente, que ainda não está à vista no mundo;
Criatividade – é usar a imaginação para criar ideias significativas;
Inovação – colocar ideias em prática.

Se seguirmos esse raciocínio, veremos que antes de inovar é preciso imaginar, depois mergulhar num processo de criatividade.

Quando os Beatles começaram, por exemplo, sabiam apenas dois acordes. Para aprender o terceiro, pegaram um ônibus que atravessou a cidade em busca de um cara que sabia o que eles queriam aprender (vocês encontram essa história completa no livro O Elemento). Ao contar essa história, Robinson ressaltou que “a criatividade está enraizada na disciplina, mas não confinada nela”. E depois, completou: “Se você investir no talento das pessoas, elas criarão suas próprias oportunidades”.

Outro assunto foi a tendência de se dar importância excessiva a matérias como matemática e ciências quando se fala em educação. Na visão de Ken, esse movimento nega o fato de a vida não ser linear e de que as pessoas desinteressadas pelas temáticas exatas e científicas são muitas vezes forçadas a ir contra suas próprias vontades.

O próprio escritor revelou que, nos primeiros anos como professor, cometeu muitos erros, mas nem por isso desistiu de repensar seu papel nos processos que estava criando. No final, comentou que os professores serão, futuramente, curadores, e citou referências como a School of One, uma experiência em NY cuja essência é a personalização do ensino. E assim terminou o encontro de uma hora com Ken Robinson. Uma hora ouvindo histórias que até hoje ecoam por aqui, que instigam nossa criatividade a se transformar em inovação, a continuar mais viva do que antes.

* Durante a sessão de autógrafos do livro Libertando o Poder Criativo, troquei algumas frases com Sir Ken Robinson sobre o nosso projeto de educação.

E não me contentei só com as poucas frases: entreguei também uma carta escrita à mão, nela explicava o Educ-ação com mais detalhes e convidava o Sir Ken Robinson a escrever a introdução do nosso livro. Ainda não tive resposta, mas já lancei o sonho no mundo.

Pin It

Related Posts

6 Responses to Uma hora com Sir Ken Robinson – parte II

  1. Pedro Sanches disse:

    Querid@s, o sonho de vocês é uma grande inspiração para tod@s nós.
    Sou estudante de graduação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília e tenho plena certeza de que ser educador é um ser-educador-no-mundo, vivendo e convivendo para celebrar a cotidianidade e tudo o que há de pedagógico nela!
    Há um bom tempo eu procurava um conteúdo tão interessante como esse por aqui. Grato demais! :)
    Deixo em troca isso: http://grupoautentica.com.br/autentica/pedagogia_profana_-_dancas_piruetas_e_mascaradas/256
    Muita Luz pra vocês!

  2. Raissa disse:

    Nossa! Sensacional André!!!!!! Quero ver essa introdução no livro!! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *